domingo, setembro 30, 2007

Just friends

Friends, é só isso mesmo, todos os amigos que a blogesfera me trouxe.
Alguns mais conhecidos nos ciclos blogesféricos de que outros, todos para mim merecem a mesma atenção, deferência e admiração.
Em posts, irei apresentá-los, procurando com isso, em alguns casos, emergi-los de um anonimato imerecido. A ordem será arbitrária, tendo como critério da escolha, os que são menos visitados, desconhecendo o propósito do destino, a sua qualidade não tem a divulgação merecida.
Vou começar pelo Henrique Sousa. Escritor e professor, é o usurário do blog Hora absurda IV onde a crítica pertinente e mordaz nos é servida muitas vezes no prato da ironia. Para ilustrar um pouco o que escreve, apresento-vos um excerto do seu “Tratado”, compilação de textos publicados, intitulado Das Tinturra

De certo pensarão que vos falar do dia de hoje, e pensam muito bem. Ora, morando nos arrabaldes de Leiria, foi enorme o meu regozijo ao ver uma loja que caiu em desuso andava a ser convertida em nova superfície comercial. A fachada foi vedada ao público até ao dia da abertura, e… qual não foi a minha (agradável) surpresa quando vi nascer uma…FARMÁCIA!
Fantástico, pensei cá para os meus botões. Já não vou ter que caminhar uns bons quilómetros para comprar tintura de iodo de que tanto preciso para os pés. Dois ou três dias depois da inauguração, entrei na bem-dita farmácia, teci um rasgado elogio à iniciativa, e pedi se me podiam aviar um frasco de álcool iodado a 10%. Resposta imediata dos empregados trajados a rigor com bata branca.
- Ah! Caro senhor, lamentamos muito, nós aqui não fazemos manipulações, terá que se dirigir a uma das farmácias de Leiria que fazem (ainda) dessas coisas. Sabe, hoje há o Betadine, o Senodyme, o vaiscontentemos-semdine, etc…
- Está bem, percebo! Mas será que me podia então vender a tintura de iodo e o álcool que eu em casa manipulo?
- Bem, o álcool pode compre-lo no Lidl, aqui a cem metros. Quanto à tintura de iodo…só por curiosidade, qual a marca que prefere? Vou ver se há!
- Qualquer, desde que seja tintura de iodo!
Passados dez minutos, aparece o solícito empregado (de bata já menos limpa), desculpando-se:
- Sabe, não consigo encontrar tintura de iodo na base de dados. Sabe o nome comercial?
- Experimente Tintex ou Tinturex ou IODOMAX ou Prolalex, FUNGOMAT, PEDATLETIX…
- Ah, muito obrigado pelas sugestões.
Entretanto vim cá fora fumar um “cigarrex”, enquanto o pressuroso empregado pesquisava a sua base de dados. De regresso ao interior, enquanto passava uma vista de olhos pela montra dos chanpôs e dos perfumes, o afadigado e empenhado empregado chama-me:
-Caro senhor! Lamento (já a bata andava feita num oito), mas essa tintura não consta de nenhuma base de dados das farmácias.
- Paciência! Lá terei de ir ao centro de Leiria. Mas tem aí algum medicamento para o pé-de-atleta?
A face do empregado iluminou-se com um sorriso que ia de orelha a orelha. Abotoou-se e, num ápice, encheu-me o balcão com mais de vinte produtos – eram cremes, pós, sprays, inaladores, adesivos, cápsulas, injecções, clisteres, etc. – destinados a combater o pé-de-atleta. Começou então a falar das virtudes de cada um dos medicamentos, efeitos laterais e colaterais, manter afastado das crianças, não tomar durante a gravidez, evitar conduzir sob o efeito da pomada, não beber durante o tratamento, conservar em lugar fresco e seco (será para por no frigorífico?), etc..Resultado: lá trouxe uma pomadita que ando a pôr há uma semana mas o pé-de-atleta continua assanhado.
Hoje fui ao centro de Leiria e passei por várias farmácias e perguntei por tintura de iodo. Nada! Não há, já não se usa, é perigoso, leve antes isto ou aquilo. Não, muito obrigada, eu quero tintura de iodo, o pé-de-atleta só passa com tintura de iodo.
Se calhar, vou hoje a uma loja dos chineses perguntar se têm tintura de iodo para curar o pé-de-atleta.

Um abraço Henrique.

10 Comments:

Blogger Peter said...

Por acaso passei há pouco pelo blog do Henrique para o felicitar pelo seu 1º prémio no Concurso de Contos.
Não o conheço pessoalmente, embora ele tenha tido a amabilidade de me oferecer um livro sobre "O tempo", escrito por ele.
Posteriormente enviou-me uma compilação de artigos que escreveu sobre a tintura, outra "tintura", claro.
Sou portanto "suspeito", pois só posso referir-me favoravelmente a ele.

Ando um bocado afastado dos blogs e daí a minha ausência.

Um abraço para os dois.

1:07 da manhã  
Blogger Ashera said...

É indiscutivelmente um livro imperdível !
Belissima homenagem a este excelente escritor praticamente desconhecido, e, quem perde é quem o não lê!
Parabéns a ele e a ti pelo blog onde a amizade é um privilégio!
Beijos ao Peter
Beijos a ti
Feliz semana

5:31 da manhã  
Blogger isabel mendes ferreira said...

obrigada pelo caminho...

irei descobrir. devagar. devagarmente.



______________


bom dia A.


_______________


um beijo.

9:01 da manhã  
Blogger hora tardia said...

bom....adorei...:)))))))))))))


_______________

até porque falta de ar costumo eu ter...:))))


______________beijo enorme Augusto.


imf.

9:47 da tarde  
Blogger H. Sousa said...

Caro Augusto, este meu "tratado", o "Das Tinturra" é de download livre no endereço seguinte:

http://naquela.horabsurda.net/wp-content/uploads/2007/09/das_tinturra.pdf

Eu gostaria que muita gente o lesse e tirasse as suas conclusões. Agradeço-te a transcrição e gostaria que mais pessoas transcrevessem textos do "Das Tinturra". Tenho oferecido o livro em papel a pessoas amigas e todas ficaram fascinadas pela forma como transmito a mensagem, entre o riso e a lágrima.

Dedico este escrito à humanidade, na esperança de que ela seja merecedora, e que seja abolida de vez a miséria à face da Terra. Aproveito para lembrar que no próximo dia 17 de Outubro há um levantamento contra a miséria em todo o mundo.

Abraços

9:53 da tarde  
Blogger Je Vois la Vie en Vert said...

Gostei imenso de ler a historia do Henrique sobre a tintura de iodo, histéoria bem verdadeira, infelizmente, uma simples tintura já não se encontra nas farmácias !
Augusto, muito obrigada pela seus parabéns. Adorei o ramo de flores, são as minhas preferidas e cheiravam tão bem ! Como é que sabia os meus gostos ?????
Um beijinho verdinho

8:49 da tarde  
Blogger Cusco said...

Olá! Obrigado pela visita nas minhas Viagens!
Já tenho passado muitas vezes pelo Hora Absurda e inclusive estive tentado a participar no concurso de contos. Porém, ao princípio parecia ser muito confuso o envio e o sistema de votação e deixei passar a oportunidade. Fica para uma próxima e entretanto vou lendo alguns dos textos que lá se encontram.
Abraço!

12:36 da tarde  
Blogger Ashera said...

Amigo Augusto
Ainda estou á procura dos "angulos perfilizados"rsrsrs
Morri de rir com tudo e tudo e tudo
Mas, como ainda estou viva, venho deixar mais uns beijos e ler os comentarios das dignissimas pessoas, gentes, não "bestas" eu sou uma , mas gosto de saber que besta sou, só me falta a malvada da tintura, para ser uma besta mais "tia" ahahah
Estou em "choque", deve ser da chuva, ou do galinheiro onde habito!
Ah! já agora : PARABÉNS HENRIQUE SOUSA! :-))
Fuiiii

1:14 da manhã  
Blogger Diogo said...

Augusto,

Saúdo a tua iniciativa. Dar-nos a conhecer uns aos outros um pouco mais. Embora o facto de acedermos a outros blogs já por si permite uma expansão desse conhecimento.

A Internet tem sido para mim, e posso jurar que para milhões de outros, um manancial inesgotável de informação não veiculada pelos mainstream media, ou seja, não distorcida, não sonegada, não intrujona.

Que a Internet não seja apenas um veículo de informação mas um meio de acção política. Que a democracia seja cada vez mais das pessoas e não de funcionários corruptos a soldo de outros interesses.

Um abraço

9:26 da tarde  
Blogger contradicoes said...

Por acaso tive o prazer de conhecer o Henrique num dos jantares por ti organizado e sem dúvida que é um bom comunicador e a transcrição do seu conto revela uma cada vez mais triste realidade. Andamos a retroceder em relação a determinados produtos que eram manipulados pelas farmácias cada vez mais dependentes dos medíocres produtos produzidos pelos laboratórios farmacêuticos. Eu no meu local de trabalho consegui convencer a enfermeira de que o Betadine está longe de ser um substituto da água oxigenada sobretudo para estancar uma hemorragia resultante dum golpe que possamos fazer. Mas dada a sua não receptividade na minha sugestão não tive outra alternativa, como sou o responsável pelas compras no meu serviço numa das idas à Makro comprei várias embalagens de água oxigenada e pus lá um frasco na enfermaria com a indicação que seria para meu uso pessoal sempre que fizesse um golpe. Passou então a ser usada por mais gente sobretudo quando há necessidade de estancar sangue resultante dum golpe. Referi este episódio para reforçar apenas a ideia do nosso amigo Henrique que na área das farmácias como noutras em vez de evoluirmos andamos a retroceder e de que maneira. Desculpa o espaço que te roubei. Um abraço do Raul

9:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home