segunda-feira, fevereiro 25, 2008

Ayurveda


Os especialistas garantem que, graças às descobertas da ciência médica, o homem moderno caminha na direcção da quarta idade. O ideal alquímico da vida eterna pode ter ficado para trás, mas não há quem não sonhe em viver mais e melhor. No mundo de hoje, a saúde – esta fonte natural nem sempre renovável – passou a ser o bem mais precioso. A Ayurveda, uma ciência indiana tão antiga quanto o homem, define a saúde como uma condição de harmonia interna e externa capaz de habitar o ser humano no buscar dos seus objectivos mais profundos e permanentes. Para a medicina Ayurveda, ser saudável é uma condição normal e toda a terapia deve ser baseada no restabelecimento desse estado natural. Por isso, é também chamada de”natureza que restabelece”. Vinod Verma (director da New Way Health Organization na Índia)

Ayurveda é o nome dado à ciência da saúde mais antiga do mundo, desenvolvida na Índia há cerda de 3.000 anos. Em sânscrito Ayur quer dizer vida e veda ciência. Assim Ayurveda é a ciência da vida.

A Ayurveda foi desenvolvida a partir da época de Buda, no século V a.C. baseada no empirismo e no racionalismo da observação dos fenómenos naturais e das suas influências no ser humano. Originária da Medicina Védica onde a religião, mitologia, magia e a medicina são inseparáveis o que lhe dava um carácter mágico-religioso, a Ayurveda propõe uma vida em harmonia com as leis da natureza mas também uma vida útil à sociedade como um todo. Na Medicina Ayurvédica, saúde é um estado de felicidade e para o alcançar o ser humano deve trilhar um caminho de autoconhecimento.

A Medicina Ayurvédica é conhecida como a mãe da medicina, pois seus princípios foram a base, posteriormente, do desenvolvimento da medicina tradicional chinesa, árabe, romana e grega. Também o Japão teve necessidade de fazer intercâmbio com os indianos, para criar uma medicina barata para atender às suas populações muito pobres.

Esta deve ser a principal causa para o desconhecimento ocidental desta importante medicina oriental. Por de trás dela, não estão as multinacionais dos fármacos, que estabelecem o preço da saúde. O custo insignificante da Medicina Ayurveda tornou-a acessível a todos os pobres, odiada por todos os laboratórios e suspeita na eficiência, pela medicina convencional ocidental.

Na Índia, onde a Medicina Ayurvédica que tem a mesma importância que a medicina tradicional tem no Ocidente, é aprendida nas universidades. Para a formação completa, são necessários cinco anos e meio. A primeira escola a ensinar Medicina Ayurveda foi a Universidade de Banaras, por volta de 500 a.C. Foi ali que a grande Samhita, ou enciclopédia de medicina, foi escrita.

Estima-se que 80% da população da Índia, seja assistida pela medicina Ayurveda.

A doença para a Ayurveda é mais que a manifestação de sintomas desagradáveis ou perigosos à manutenção da vida. Ayurveda, como ciência integral, considera que a doença inicia-se antes de chegar à fase em que ela finalmente pode ser percebida.

Segundo a Ayurveda, mudanças frequentes na nossa rotina diária e melhoria da nossa alimentação farão mais pela nossa saúde a longo prazo do que tomar remédios ou procurar tratamento médico. Não existe nenhum substituto para a nossa maneira correcta de vida. Quanto mais vivemos em desarmonia com a nossa natureza menos podemos esperar em termos de obtenção de saúde, seja por que método for. As nossas acções determinam o nosso nível de consciência assim como o padrão de energia do corpo físico. Segundo os Upanishads “o desejo do homem gera a acção e, como ele age, assim ele se tornará”.

A doença física é frequentemente o resultado da super valorização do corpo físico e do mundo material. Devemos dar ao corpo o cuidado adequado, sem deixar que domine os outros aspectos da nossa vida. Nosso corpo ficará desarranjado devido ao esforço exagerado em quer mantê-lo bem.

A Medicina Ayurveda baseia-se no sistema filosófico hindu Samkhya, onde toda a manifestação material do universo é um fenómeno único da consciência cósmica, manifestada através dos cinco elementos básicos da natureza: Éter, ar, fogo, água e terra, inclusive o corpo humano que além da matéria (Prakriti) também é composto de espírito (Purusha) e este por sua vez de discernimento (budhi), ego (ahsmkara) e mente (manas). É do desequilíbrio de algum dos cinco elementos que se inicia o processo da doença.

Os cinco elementos são:

O éter equivale ao som
O ar equivale ao tacto
O fogo equivale à visão
A água equivale ao paladar
A terra equivale ao olfacto

Estes elementos são como estados da matéria: terra representa o estado sólido, a água, o líquido, o ar o gasoso, o fogo o poder de mudar o estado de qualquer substância e o éter, o elemento que é ao mesmo tempo a fonte de todos os outros e o espaço onde eles existem.

Os cinco elementos básicos aparecem sempre combinados de maneira inseparável na natureza: varia apenas a sua proporção relativa para conferir as diferentes qualidades.

Os Doshas ou “princípios metabólicos” são os princípios que ligam o corpo à mente. Eles têm origem na diferente mistura de pares dos cinco elementos. É através dos elementos e dos Doshas, que o Ayurveda determina a natureza básica do indivíduo e estabelece uma linha de tratamento adequada às suas necessidades reais.

A Medicina Ayurveda possui oito ramos principais.

Medicina interna ou clínica geral
Pediatria
Psiquiatria
Doenças da cabeça e pescoço (otorrinolaringologia, oftalmologia e odontologia).
Cirurgia
Toxicologia
Rejuvenescimento e geriatria
Afrodisíacos (impotência e infertilidade)

A história clínica do paciente inclui além do exame clínico completo, exame da urina, do suor, do escarro e da voz do paciente.

Diversas são as técnicas da cura.
Pela alimentação, a dieta perfeita de acordo com cada um.
Terapia dos sabores
Terapia dos aromas
Massagens com óleos especiais

Além das dietas especiais, o Ayurveda emprega remédios naturais e muitos outros recursos preventivos e curativos. Para equilibrar o Prakriti, a Medicina Ayurveda dispõe de uma infinidade de medicamentos preparados pela combinação de ervas, sais, produtos minerais, bem como extractos, pomadas e óleos vegetais. Não se restringem a aplicações paliativas ou superficiais com o objectivo de eliminar sintomas: são preparados especificamente para cada tipo de paciente e não para a doença que ele apresenta.

Pranayama, o equilíbrio pela respiração.

Técnica que harmoniza os Doshas e regula a distribuição da energia cósmica pelo organismo. Pranayama em sânscrito quer dizer “energia vital”.

Sendo a respiração o ritmo fundamental da vida e o que apoia todos os outros, a respiração pode ser considerada o acto mais criativo do nosso corpo. O lema é viver em sintonia com o nosso corpo mecânico quântico. A rotina mais importante a seguir é o acto de entrar em contacto com o nosso nível quântico pela Meditação Transcendental, que deverá ser praticada durante alguns minutos todos os dias. É esse o modo de elevar a existência comum a um plano superior. Se executarmos alguns processos correctamente, a tendência inerente ao corpo de conservar o equilíbrio cuidará do resto.

Termino com alguns versos Védicos:

É nosso dever como o resto da humanidade sermos perfeitamente saudáveis, porque somos as ondas do oceano da consciência e ao adoecermos, mesmo pouco, rompemos a harmonia cósmica.”

“Mais correcto é ver-nos como uma célula do corpo cósmico, com direito a usufruir os privilégios da condição cósmica, inclusive a saúde perfeita.”

“A inteligência interior do corpo é o maior e supremo génio da natureza. Ela espelha a sabedoria do cosmos.”

“A maior prioridade da vida é a própria vida”

11 Comments:

Blogger Leonor said...

ola augusto
tambem concordo. mente sã em corpo são.
desta vez não participo no concurso do ora vejamos mas dou la um salto a ver como pára o baile, rsss
nao tenho jeito para poesia.
beijinhos

6:52 da tarde  
Blogger Ashera said...

Querido Augusto
Os teus trabalhos de "casa" estão a ficar bem interessantes..penso que aos 20 anos nem te lembrarias de nos "inundar" no bom sentido , com toda esta sabedoria :-))
Nem por sombras te chamar (cota),porque o espirito não tem idade, só as dores de joelho :-)
Saudades tuas meu doce amigo
Beijos e muitos beijos
Obrigada pelo "post"

10:21 da tarde  
Blogger **Je Vois la Vie en Vert ** said...

Da terapia Ayurveda, só experimentei a massagem com óleos arômaticos e não gostei porque achei um pouco violenta. Fiquei com mais dores do que tinha inicialmente. Sou uma pessoa que só gosta e precisa de suavidade...
Beijinhos verdinhos

10:39 da tarde  
Blogger Paulo Sempre said...

O homem tende para a recuperação da eternidade perdida com o pecado de Eva no jardim de Eden...
Os mistérios antigos podem ter a responsta...
Abraço
Paulo

2:12 da tarde  
Blogger isabel mendes ferreira said...

água.



água.



água.


______________lisa. aveludada.


a minha escolha para "comentar" mesmo que insuficientemente um post tão zen.


:)


obrigada Augusto.


e saio.


com um ramo de abraços.

3:13 da tarde  
Blogger Diogo said...

«O ideal alquímico da vida eterna pode ter ficado para trás»


A engenharia genética ainda está a dar os primeiros passos. Nos próximos vinte anos é capaz de haver algumas surpresas.

3:01 da tarde  
Blogger Peter said...

Artigo muito interessante que desconhecia totalmente e que li na íntegra.
Achei-o demasiado longo e não perdia nada em ter sido dividido em dois.
Destaco e concordo contigo:

"O custo insignificante da Medicina Ayurveda tornou-a acessível a todos os pobres, odiada por todos os laboratórios e suspeita na eficiência, pela medicina convencional ocidental."

Há um ponto sobre o qual te interrogo. Transcrevo:

"O lema é viver em sintonia com o nosso corpo mecânico quântico. A rotina mais importante a seguir é o acto de entrar em contacto com o nosso nível quântico pela Meditação Transcendental, que deverá ser praticada durante alguns minutos todos os dias."

Abraço amigo.

9:54 da tarde  
Blogger H. Sousa said...

Tendo eu perdido há pouco tempo a harmonia, agradeço-te a informação acerca de como preservá-la. Mas divaguemos um pouco:
Este tema da saúde assume grande importância num mundo onde as pessoas vivem cada vez mais em função de si. Saúde, amor e dinheiro, assim se pode resumir aquilo que nos ocupa a mente durante a vida. E há quem saiba explorar bem estes assuntos, basta ver o negócio dos bancos, das clínicas, dos psicólogos e dos astrólogos. Ehehehe!

7:21 da manhã  
Blogger Vieira Calado said...

Grandes sábios, estes chineses de antanho!
Cumprimentos

2:35 da tarde  
Blogger Kalinka said...

OLÁ AMIGO AUGUSTO
Peço-te imensas desculpas pois não tenho sido assídua aqui, no teu cantinho...nem em muitos outros.
O mês de Fevereiro foi péssimo para mim, uns fantasmas que já me tinham dado imenso trabalho no passado voltaram a «atacar» e tem sido muito complicada a minha vida, principalmente nas ultimas 2 semanas...com isto tudo, esqueci-me do teu aniversário. Uma falha imperdoável.
Hoje, domingo, andei para aqui, embrenhada a fazer a minha «auto-biografia». Tenho que entregar na próxima 3ª feira, é o trabalho que me pediram para fazer.
Isto é complicado...resumir 52 anos em 3 folhas...possas!!!
A minha vida tem sido muito rica em acontecimentos e...há muito para escrever, só que tenho que ser suficientemente inteligente para saber o que espremer e o que devo deixar ficar.
E, depois das 2 semanas horríveis que passei, não sei mesmo como ainda tenho cabeça.
OK, querem-me destruir, mas EU NÃO DEIXO.
Beijokas.

12:17 da manhã  
Blogger Kalinka said...

Preciso de tempo.
Sim, tempo para te escrever, há muito que o quero fazer, mas agora meti-me neste projecto e, aos fins de semana tenho sempre trabalhos para fazer, será assim durante 10 semanas.
Tenho saudades tuas.
Li o teu aviso do concurso, muito obrigado, mas...ainda não tive tempo para procurar as regras do concurso.
A minha vida tem sido um caos.

12:21 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home