segunda-feira, dezembro 26, 2005

A carta de 26 de Dezembro

Meu querido Pai Natal

Não recebeste a carta que te escrevi?
Tive tanto trabalho a fazê-la, escrevi tão devagarinho para a letra ficar bonita, relia-a tantas vezes para não cometer erros, se algum escapou, desculpa, ninguém me ensinou a ler e a escrever.
Ainda pensei que este ano não pudesses responder às cartas que recebeste, já estava conformado, mas soube que destes muitos presentes aos outros meninos, e eu não recebi nada.
Se a recebeste porque não leste? E se leste porque não me respondeste?
Nada te pedi que fosse caro e tu bem sabes quanto preciso de umas sandálias, mesmo muito velhinhas, aquelas que os outros meninos deitam fora, tenho os pés tão doridos por andar descalço.
Os meninos a quem tu deste todos os presentes, andam tão bem vestidos, eu só queria uma roupinha velha para cobrir o meu corpo nu.
Ouvi dizer que os meninos a quem tu deste todos os presentes, vivem em casas muito bonitas, eu só queria um teto, mesmo de palha, para me abrigar.
Os meninos a quem tu deste todos os presentes, dizem que são saudáveis, eu só queria que curasses as minhas feridas.
Disseram-me que os meninos a quem tu destes todos os presentes, vivem com os pais, eu só queria que me ajudasses a encontrar os meus.
Também ouvir dizer que os meninos a quem tu deste todos os presentes, têm muito para comer, eu só queria uma sopinha para não ter fome no Dia de Natal, pelo menos nesse dia.
Não mereci a tua resposta e pedia-te tão pouco, o que seria muito para mim que não tenho nada. Adeus Pai Natal, muitos beijinhos, para o ano volto a escrever-te, quem sabe se terei resposta.

Carta ao Pai Natal escrita no dia 26 de Dezembro, por uma criança que vive num campo de refugiados, algures em África.

24 Comments:

Blogger trintapermanente said...

sem palavras

5:33 da tarde  
Blogger Menina_marota said...

"...Não mereci a tua resposta e pedia-te tão pouco, o que seria muito para mim que não tenho nada. Adeus Pai Natal, muitos beijinhos, para o ano volto a escrever-te, quem sabe se terei resposta."

...e, para o Ano continuará a "sonhar"... porque os homens assim querem!
Um abraço carinhoso para todos ;)

7:44 da tarde  
Blogger lazuli said...

Não me consolo por terem substituído o menino jesus pelo pai natal, mas enfim..os tempos mudam e agora é assim.
Beijos, Augusto

7:58 da tarde  
Blogger Noel Santa Rosa said...

Pois é Augusto, quando se substituiu a imagem de Jesus-Menino, pobre, nascido numa gruta, entre animais simples, dormindo numa manjedora e filho de um casal pobre mas que se amava muito, por um gajo, gordo, vestido de vermelho, com arminho na gola e no "garruço" que dá gargalhadas estridentes e carrega um saco cheio de gulodices e tralha, o que esperas do mundo?

A mensagem do Natal era a da humildade, da partilha com os mais pequenos, o amor aos animais e a todas as criaturas, a boa vontade entre os humanos enfim o amor agápe.

Mas como esse espírito se perdeu e cada dia que passa se vai perdendo ainda mais, a esse gajo gordo, barulhento e que tem a mania de entrar nas casas dos outros sorrateiramente como um ladrão, para ficar mais parecido com o Demo das fábulas só lhe falta mesmo é o tridente e um bom par de cornos.

Quem sabe se para o ano ele já apareça finalmente com as astes que lhe faltam e o tridente?

A Mãe Noel está a considerar essa situação de forma bastante consciente e muito ponderadamente!

Beijos

Noel Santa Rosa

8:11 da tarde  
Blogger Leonoretta said...

pois é, augusto. em áfrica tudo falha. há cartas divertidas ao pai natal. esta não é uma delas sem dúvida.

mas olha... egoisticamente mudando de assunto, a ana e a leonor nao estavam a discutir. elas nao discutem. em parte porque nao podem, em parte porque fizeste essa recomendaçao e aceitei-a pplenamente como forma de manter o nivel aqui no sitio.

parece que ainda nao e desta que vou ao jantar. vou contar-te uma coisa: o frio gela-me a alma.

abraço da leonoreta

9:54 da tarde  
Blogger messenger said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

3:40 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira said...

s.a.u.d.a.d.e.

desta lucidez.

b.e.i.j.o.

4:57 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira said...

s.a.u.d.a.d.e.

desta lucidez.

b.e.i.j.o.

4:57 da tarde  
Blogger OrCa said...

Pois é... a lucidez há-de remeter o velhote lá para o alegre convívio das renas e deixar campo aberto aos afectos e à solidariedade, em constante renovação.
Questão de fé? Nem por isso. Basta a esperança... e fazer qualquer coisa por isso, como este teu texto.

Um abraço e venturoso ano novo!

12:28 da manhã  
Blogger lazuli said...

Augusto, farei todo o possível para ir, pelo prazer do convívio com vocês e o desejo de manter o contacto pessoal que é o que mais prezo. Ainda não sei ao certo, vou deixar passar mais alguns dias.

2:51 da manhã  
Blogger Amaral said...

Por aqui e por ali ainda vamos ouvindo "a voz do Pai Natal"...
Muito pouco para tão vasto planeta...
Ainda assim, há sentimentos que "despertam", nestas alturas, sabe-se lá "porquê"...
Para ti e família, um ano de 2006 com Saúde, Paz, Alegria e muita Luz!

12:33 da tarde  
Blogger Carmem L Vilanova said...

Querido amigo, lágrimas me vieram aos olhos ao ler este teu post, tao bem escrito, tao real, tao sincero...
Fiquei sem palavras!
Muitos beijinhos para ti, querido amigo!

8:50 da tarde  
Blogger Friedrich said...

Há muito tempo que não lia uma carta tão sentida, não por ser ao Pai Natal nem ao Menino Jesus, mas por ser uma verdade constante todos os dias e não apenas no Natal. De quem será a culpa desta desigualdade? Não seremos todos nós um pouquinho que faz crescer a miséria no mundo com o nosso egoísmo e a nossa despreocupação de que alguém há-de solucionar este flagelo que não nós...

Agora arrefeci aqui a escrever, vou me sentar junto da lareira para aquecer a tristeza!

Mas creio que nem tudo está tão mal como estou para aqui a pintar, porque só no dia 23 de Dezembro os portugueses fizeram levantamentos de 115 milhões de euros só nas caixas de Multibanco. E a economia sorriu nesse dia… Temos que inventar mais dias de Natal!

Um grande braço de Boas entradas no novo ANO!

9:20 da tarde  
Blogger Friedrich said...

ah! com isto ia-me esquecendo de dizer que claro que vou ao jantar, agora não perderia por nada porque os laços estão frouxos mas são verdadeiros... Podes contar com dois, depois preencho o formulário da inscrição. Burocracias...

9:30 da tarde  
Blogger armando said...

Na mouche Augusto. Mas eu pergunto a mim mesmo, quantas vezes teremos de escrever castas destas? Uma eternidade.

PS: como é que me posso inscrever no jantar de blogers?

1:41 da tarde  
Blogger dulce said...

De José Saramago, Natal:

Nem aqui, nem agora. Vã promessa
Doutro calor e nova descoberta
Se desfaz sob a hora que anoitece.
Brilham luzes no céu? Sempre brilharam.
Desse velha ilusão desenganemos:
É dia de Natal. Nada acontece.

Beijos para ti.

1:56 da tarde  
Blogger sal said...

Olá!
Tive sorte em nunca acreditar no Pai Natal, afinal de contas os sonhos generalizados não servem para todos...Posso sonhar com um mundo de paz e entre tanto uns espertos andam a lucrar com a guerra e nem sempre da forma mais clara. O mesmo se passa com o pai Natal.
Desculpem mais nunca vi candura nem graça nenhuma na figura do rechonchudo...a barba é trauma de infância e do vermelho gosto, falta é o martelo porque a foice existe a cortarnos o orçamento!

Um Abraço

3:02 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Demasiado triste para acrescentar alguma palavra. Bom ano também para ti, com gares ou sem gares...o que realmente importa é irmos tendo saúde, isso sim!! O resto, tudo o resto vem por acréscimo, podes crer!! Beijinhos.

7:02 da tarde  
Blogger contradicoes said...

Poderia muito bem ter sido escrita por um qualquer menino africano, mas ele nem sequer tem escola para aprender a ler e escrever para o poder fazer. É muito oportuno que se lembre aqueles que nada lhes falta e ainda lhes sobra que continuam a existir crianças que nem sequer roupas têm para vestir quanto mais brinquedos para brincarem.
Continuação de Boas Festas com um abraço do Raul

7:04 da tarde  
Blogger Animatógrafo said...

Era bom que alguém se lembrasse que a carta podia perfeitamente ter sido escrita ao menino Jesus, ele também nãoa apareceria... À criança o que interessava era uma tijela de sopa, não que o mensageiro fosse um menino pobre em vez de um velho gordo barbudo. Cut to essentials!

11:47 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira said...

só porque sim. um b.e.i.j.o.e um bom dia.

9:53 da manhã  
Blogger Passaro Azul said...

Absolutamente comovida com a carta "desse" menino, que tem tantos iguais no seu país e também no resto do mundo, infelizmente.
Flagelo da humanidade, tanta diferença entre iguais!
Um abraço com carinho e o meu desejo de um 2006 sem tanta desigualdade pelo mundo fora.
O melhor 2006 para sí e todos os seus :)

4:31 da tarde  
Blogger Friedrich said...

Espero que as palavras sobrem para aliviar as tristezas de alegrias pálidas! Mas pela força de bloqueamento expressivo remeto-as nos meus dois Babushkas para ti.

Um muito - Bom Ano 2006 - Tu mereces!
Abraços apertados sem fim...

2:37 da tarde  
Blogger Å®t_Øf_£övë said...

Augusto,
Super sensibilizante esta carta. Confesso que me comoveu.
Abraço.

9:33 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home